Por que e como começar a seguir uma alimentação sustentável?



Por
10 de fevereiro de 2021 - 18:00


É fato que ao consumirmos alimentos naturais contribuímos para a preservação do planeta. Preservamos o solo, o ar, a água, além da nossa própria saúde. Isso porque não são utilizados agrotóxicos e pesticidas na produção desses produtos, mais conhecidos como alimentos orgânicos e muito procurados por pessoas que começam dietas saudáveis e conscientes.

Existem diversas maneiras práticas de se aproximar da sustentabilidade por meio de seus atos alimentícios. Por exemplo, adquirir verduras e legumes produzidos na sua região na época de maior colheita, evitando produtos de empresas que utilizam medidas químicas de conservação e durabilidade no transporte. Uma excelente dica é a procurar pelos referidos produtos em feiras rurais ou agroecológicas. Assim, você também ajuda o pequeno produtor a crescer.

Quando almoçar em restaurantes, peça ou sirva-se de porções suficientes para você, evitando sobras e desperdício. Se não houver essa opção, você pode solicitar que o restaurante embale o que sobrar para que possa levar para casa. Afinal, de acordo com pesquisas da World Resources Institute, 41 mil toneladas de alimentos são desperdiçados anualmente no Brasil e 15% desse desperdício vem de restaurantes. A maioria dos restaurantes prefere não doar sobras de comidas baseados na lei n° 8.137, a qual responsabiliza o doador pelo mal que essa comida pode causar ao organismo de quem recebe.

Reduzir o consumo de carne vermelha e embutidos é benéfico, embora soe impossível ao brasileiro. Segundo o Instituto Tricontinental de Pesquisa Social, o Brasil é o segundo maior produtor de carne no mundo, sendo o mercado interno influente e consumista. A carne bovina, apesar de ser um dos alimentos mais apreciados pelos brasileiros, é forte causadora de impacto ambiental, uma vez que a pecuária ocupa a maior parte das terras agrárias brasileiras e é o setor que mais promove desmatamento na Floresta Amazônica Brasileira. Além disso, a maior parte de gorduras saturadas que consumimos vem de embutidos e da carne vermelha.

Outra medida que pode tornar sua alimentação sustentável é evitar o uso de descartáveis ao levar seus próprios talheres, copos e até canudos de inox para fazer refeições externas ou em ambientes de lazer. Existem inúmeras opções de utensílios com materiais ecológicos ou biodegradáveis, feitos de pano ou de papel. Sacolas retornáveis são recomendadas e incentivadas por supermercados, tendo como finalidade a diminuição da poluição por resíduos sólidos. E as compras a granel tornam-se a escolha ideal para evitar desperdício e proporcionar uma alimentação saudável e orgânica.

A alimentação sustentável é um assunto amplo e dialoga com o consumidor desde o processo de produção até a forma como transporta suas compras para casa. As opções citadas não se tratam de radicalismos, pois sabemos que é difícil mudar hábitos constituídos em anos. Mas se não realizarmos o primeiro passo em direção à mudança, será cada vez mais difícil imaginar um futuro para o espaço em que vivemos, para nossos recursos naturais e para a saúde da população do planeta.